Principais doenças de cães idosos: Aprenda a cuidar e tratar estas doenças

postado em: Cuidados cães idosos | 0

Adoramos ver nossos animaizinhos crescerem e se desenvolverem, brincando, pulando e se divertindo. Mas o tempo passa, e para nossos amiguinhos, parece que o tempo passa mais rápido. A medida que vão ficando mais velhos, começam a surgir as principais doenças de cães idosos.

Neste texto, vamos apresentar a você as principais doenças de cães idosos citando as suas possíveis causas, sintomas e tratamentos.

Ao final deste material você saberá como agir em determinadas situações e conhecerá as formas corretas de se cuidar das principais doenças de cães idosos.

Muitas destas doenças requerem tratamentos e acompanhamentos diários dos cães, o que dificulta a vida dos tutores que trabalham e não tem tempo de cuidar do seu amiguinho durante o dia..

 

Principais doenças de cães Idosos

 

Artrite em cães

A artrite é uma doença óssea muito comum nos cães de idade avançada.

Com o avançar da idade, os ossos dos cães começam a se degenerar e causar inflamações nas articulações ósseas, conhecida como artrite.

O cão sofre de calor, dor e inchaço das articulações. Há um aumento da rigidez e diminuição da mobilidade das articulações.

 

artrite cães

 Causas da artrite em cães

Artrite em cães é causada por vários fatores, tais como:

  • Idade avançada
  • Hiper -dispepsia
  • Dieta inadequada
  • Prejuízo para as articulações dos ossos e cartilagens
  • Obesidade

Os sintomas de artrite em cães

Os sintomas de artrite nos cães são muito fáceis de se detectar, pois percebe-se claramente a alteração do comportamento do cão:

  • Cães com artrite evitam passeios e brincadeiras e tendem a ficar mais tristes e amedrontados.
  • Existem relatos de cães que apresentaram sinais de sangue nas fezes, diarreia e vômitos.
  • Cães com artrite demonstram sinais de dor até mesmo ao se coçarem, pois percebe-se dificuldades e as vezes até mesmo choro nestes momentos.
  • Muitos cães ficam mais arredios e começam a ficar agressivos e sensíveis ao toque, evitando até mesmo o contato com o dono.
  • Por sentir medo e dor, os cães tendem a ficar com as orelhas abaixadas e para trás, demonstrando medo e dor.
  • O cão pode começar a claudicar e demonstrar articulações mais rígidas.
  • Com as dores, normalmente tem-se uma diminuição do apetite do cão e por consequência, a perda de peso.
  • Em virtude da diminuição das atividades físicas, alguns cães começam a apresentar diminuição do tônus muscular.

Tratamento da Artrite em Cães

  • A primeira coisa a se fazer é consultar seu médico veterinário. Ele poderá avaliar o grau de severidade da artrite e recomendar o tratamento adequado para o caso do seu cão. O seu veterinário indicará os medicamentos adequados, pois o estado geral do animal pode influenciar em qual medicamento pode ser dado para o cachorro.

 

  • Inicie uma dieta rigorosa em seu cão. Normalmente cães com artrite apresentam excesso de peso que prejudica a movimentação do cão. Troque a ração do seu cão para rações Diet ou Light e evite dar qualquer tipo de complemento alimentício, como frutas e petiscos. Neste momento é essencial que seu cão perca peso e fique o mais próximo do peso ideal possível para evitar que este excesso de peso prejudique ainda mais as articulações.

 

  • Exercícios físicos são muito importantes. Sabemos que cães com artrite tem grandes dificuldades para andar e se exercitar, mas é muito importante que continuem realizando exercícios de baixo impacto para evitar atrofia muscular e com isto, prejudicar ainda mais os movimentos. Atividades como natação e esteira na água são altamente recomendadas nestes casos.

 

  • Ajude o seu cão dando a ele terapia de calor. A terapia de calor é excelente para se livrar de dor em um ponto específico. A temperatura elevada ajuda na circulação do fluido sinovial (de modo que o seu cão se sinta mais ágil) e reduz o aumento de substâncias inflamatórias na articulação (que as podem enrijecer).

 

  • Providencie tapetes de borracha ou EVA´s para colocar em sua casa. Os pisos lisos são terríveis inimigos do seu cão com artrite, pois prejudicam e muito a sua locomoção e até mesmo para se levantarem quando estão deitados. Coloque tapetes  antiderrapantes e aderentes pela casa ou forre a área onde fica o seu cão com placas de EVA. Desta forma ele se sentirá mais seguro para se locomover e sentirá menos dor ao se levantar.

 

  • As vasilhas de água e comida devem ser elevadas. Alguns cães podem desenvolver artrites no pescoço e cervical e ter dificuldades de abaixar a cabeça para se alimentarem ou beber água. Colocando as vasilhas em locais elevados (um banquinho por exemplo) você evita que sintam dores ao se alimentarem.

 

Artrose em cães

Existe muita confusão entre o que é artrite e artrose. A artrose normalmente é consequência da artrite, podendo ser também decorrente de processos autoimunes, sobrecarga articular, etc.

A artrose tende a ter desenvolvimento lento e crônico, não possuindo uma cura definitiva.

 

artrose cachorros

 

Causas da artrose em cães

  • O porte dos cães é um fator muito comum em cães com artrose. Cães de porte grande e gigante são mais propícios a desenvolver este tipo de problema.
  • Cães obesos e com excesso de peso também tem sido observados com casos de artrose em função das sobrecargas nas articulações.
  • A artrose também pode estar associada a traumatismos por quedas ou escorregões, rupturas de ligamentos e exercícios de alto impacto.

Os sintomas de artrose em cães

  • Os sintomas da artrose são muito similares ao da artrite, confundindo muitas vezes o diagnóstico.
  • Grande dificuldade para sentar e levantar.
  • Falta de apetite e disposição para fazer qualquer atividade.
  • Agressividade inexplicada.
  • Irritabilidade , evitando ser tocado.
  • Insônia

Tratamento da Artrose em Cães

  • Até o momento não existe cura para a artrose, porém pode-se melhorar muito a qualidade de vida do animal e diminuir o processo degenerativo das articulações. Seu médico veterinário deverá avaliar o grau que se encontra a artrose no seu cão e iniciar um tratamento para diminuir a dor e a progressão da degeneração.
  • Os veterinários combatem logo na primeira fase a síndrome chamada sensibilização central, que consiste em uma dor contínua e profunda percebida pela medula espinhal como reflexo das dores nas articulações.  Medicamentos são ministrados para inibir esta síndrome.
  • Nestes casos, são ministrados anti-inflamatórios não esteroides, que permitem uma melhora considerável na qualidade de vida dos cães
  • Em alguns casos com quadros graves de inflamação, recorre-se à intervenção cirúrgica com o objetivo de eliminar os osteófitos (proliferação óssea anormal) que obstruem as articulações.
  • Alimentos ricos em Ômega 3 tem demonstrado  ser um forte aliado no combate a deterioração das articulações. Os ácidos graxos liberados nesta alimentação possuem propriedades anti-inflamatórias que conseguem frear as enzimas que destroem as cartilagens das articulações..
  • Assim como na artrite, o excesso de peso é um vilão para cães com artrose. Comece imediatamente uma dieta em seu cão para que ele atinja seu peso ideal ou até um pouco menos, pois com menos peso, seu cão terá menos sobrecarga nas articulações e com isto sentirá menos dores.

Tratar de um animalzinho que precisa de medicamentos diários, atenção especial e um ambiente agradável com muito espaço e tranquilidade pode ser difícil para alguém que trabalha e mora em apartamento. Podemos te ajudar com nosso serviço de asilo para cachorros;

 

orcamento asilo caes

Câncer

O câncer em cães, assim como nos humanos, é uma doença cruel e em muitos casos fatal. O câncer ocorre devido a mutações genéticas ocorridas dentro das células e podem estar relacionados a vários fatores como questões genéticas, alimentação indevida, etc.

Causas do câncer em cães

Assim como em humanos, não se sabe ao certo o que pode iniciar um processo cancerígeno, mas estudos comprovam que alguns fatores são desencadeantes do surgimento do câncer. Dentre as principais doenças de cães idosos, o câncer é a mais temida:

  • Idade avançada
  • Cruzamento entre cães de mesma linhagem (consanguinedade)
  • Alimentação indevida
  • Exposição excessiva ao sol (cães de pela rosada e pelos brancos)
  • Obesidade

Sintomas de câncer em cães

O câncer pode não apresentar nenhum sintoma aparente em seu estágio inicial, o que dificulta o seu diagnóstico e tratamento, mas ao longo do seu desenvolvimento é possível constatar algumas alterações no animal:

  • Dor : Percebe-se que o cão apresenta dor em determinadas situações, como andar, pular, deitar, ao ser tocado ou até mesmo ao comer. Este incômodo é percebido observando-se atentamente o dia-a-dia do animal e verificando qualquer alteração no seu comportamento normal.
  • Desânimo : Apresentam pouca disposição para brincadeiras, passeios e tendem a ficar mais sonolentos e desanimados. Procuram se isolar e evitar contato com os donos.
  • Respiração ofegante e curta: Isto pode ocorrer devido a tumores no pulmão, causando dificuldade para respirar e cansaço excessivo.
  • Perda de apetite: Normalmente ocasionado por dores ao engolir devido a tumores no sistema digestivo.
  • Perda de peso : Muito comum em cães com câncer, deve ser sempre investigado ao se constatar.
  • Machucados ou Feridas que não cicatrizam: A cicatrização fica debilitada em função da existência de câncer em cães.
  • Diarreia, vômitos ou sangramentos: Sempre que seu cão apresentar estes sintomas leve-o imediatamente ao veterinário.
  • Odores atípicos e mau cheiro: Cheiros fortes e estranhos na região das orelhas, boca ou outras regiões do corpo também podem ser indícios de que o cão está com câncer.
  • Inchaço e caroços em determinadas regiões do corpo : O aparecimento de inchaços e caroços ao longo do corpo do animal são as características mais claras do aparecimento de um câncer. Os linfonodos (glândulas  localizadas no pescoço e virilhas) tendem a ficar inchados, demonstrando um processo inflamatório. Caroços ao longo do corpo também podem aparecer para casos diferentes de canceres, como lipomas (Câncer benígno).

Tratamento de câncer em cães

  • Assim como em humanos, o tratamento do câncer e sua cura vai depender de uma série de fatores, entre eles a agressividade do câncer, o local onde está alocado, a existência de metástese e o momento que foi diagnosticado o câncer.
  • Na grande maioria dos casos, a cirurgia é adotada para retirada do tumor  e a realização de quimioterapia e radioterapia são  aplicados para tentar conter o desenvolvimento da doença.
  • O acompanhamento constante do aparecimento de sintomas nos cães é essencial para o diagnóstico mais breve possível e com isto maior possibilidade de cura. Ao se deparar com qualquer sintoma diferente em seu cão procure logo um médico veterinário.
  • Dentre as principais doenças de cães idosos, o câncer é a mais fatal e que ocorre com uma frequência muito grande em determinadas raças.

Insuficiência renal

A insuficiência renal pode ser classificada em aguda ou crônica. A insuficiência renal aguda ocorre de imediato, causando a paralisação da função renal e causando vários problemas no organismo.

A insuficiência crônica vai se desenvolvendo ao longo de um determinado período, ocasionando lentamente a paralisação das funções renais e com isto acumulando resíduos tóxicos no organismo.

A insuficiência renal refere-se à incapacidade dos rins para remover os resíduos do corpo e manter o equilíbrio electrolítico.

insuficiencia renal caes

Causas da insuficiência renal em cães

Vários fatores podem levar a insuficiência renal, dentre eles:

  • Trauma ou lesão nos rins
  • Doenças imunológicas
  • Tumores
  • Cancro
  • Exposição a substâncias tóxicas (pesticidas, herbicidas, venenos)
  • Infecções
  • Desidratação
  • Pedras nos rins
  • Doenças congênitas e genéticas
  • Idade avançada

Os sintomas de insuficiência renal em cães

Os sintomas de insuficiência renal crônica ou aguda podem variar dependendo do grau que se apresenta a doença.  Abaixo alguns dos principais sintomas:

  • Aumento da micção
  • Incapacidade de urinar
  • Maior ingestão de água
  • Desidratação
  • Diarreia
  • Vômitos
  • Sangue na urina
  • Perda de apetite
  • Convulsão

Tratamento de insuficiência renal em cães

A insuficiência renal é diagnosticada através de exame de sangue e urina onde se avalia os níveis de  ureia e creatinina.

O tratamento consiste em:

  • Fluidoterapia : aplicação de soro fisiológico por via intravenosa para ajudar a restaurar as funções renais
  • Medicamentos apropriados
  • Dieta com rações especiais: rações com baixo nível de proteína e fósforo e maiores índices de cálcio e vitamina D3
  • Diálise

Problemas da próstata

Existem diferentes problemas que podem se apresentar na próstata dos cães.

Os mais comuns são,:

  • Hiperplasia prostática benigna:  Trata-se do aumento da próstata e não é cancerígeno. Normalmente apresentado em cães não castrados  com idades superiores a 5 anos.
  • Inflamação da próstata: Causado por presença de bactérias no interior do canal urinário.
  • Câncer de próstata: Trata-se da presença de tumor maligno na próstata, ocasionando hiperplasia e podendo levar ao óbito do animal. Caso raro de doença que normalmente se manifesta em cães idosos não castrados, podendo ocorrer em cães castrados em eventos raros.

 prostata cachorro

 

Causas dos problemas de próstata em cães

  • Não castração
  • Infecções de urina mal tratadas
  • Bactérias no canal urinário
  • Condições genéticas e hereditárias
  • Idade avançada

Os sintomas de problemas de próstata em cães

Os sintomas de problemas na próstata são::

  • Sangue e pus na urina
  • Incapacidade de urinar e defecar
  • Maior frequência na tentativa de urinar
  • Febre e apatia
  • Dor ao caminhar

O tratamento de problemas de próstata em cães

O tratamento da próstata vai depender do tipo de problema apresentado.

Observação importante, todos os cães que não são  utilizados em canis para reprodução, devem ser castrados antes de completar 1 ano de idade de forma a prevenir o aparecimento de problemas na próstata:

  1. Hiperplasia Benigna: A castração deverá resolver o problema e a próstata deverá voltar ao tamanha normal.
  1. Inflamação: Deverá ser dado medicamentos  antibióticos e anti-inflamatórios de acordo com tipo de bactéria encontrada.
  1. Câncer: Normalmente ao ser diagnosticado já apresenta quadros de metástese  e tratamentos como quimioterapia e radioterapia devem ser iniciados imediatamente. Normalmente é indicado também cirurgia para retirada do tumor e da próstata.

 

Catarata

Existem alguns tipos distintos de catarata nos cães, mas todas apresentam as mesmas características.

A catarata é um distúrbio que ocorre nos olhos dos cães onde a lente do olho fica opaca e pode ocasionar na perda de visão do cão.

Isto ocorre devido a um acúmulo de água nestas lentes que acabam gerando a opacidade e dificuldade de enxergar

 

catarata cachorro

 

Causas da catarata em cães

  • Catarata congênita: Normalmente aparece já ao nascer e não é genética (exceto no caso dos Schnauzers miniatura) e sim devido a toxinas ou infecções.
  • Catarata desenvolvida: Este caso de catarata aparece quando o cão ainda é jovem e pode ser originada por traumas, diabetes, infecções ou toxinas.. Cataratas herdadas nesta idade são mais comuns nas raças Afghan Hound e Poodle comum.
  • Catarata de idade avançada: Ocorre em cães a partir de 6 anos.
  • Catarata Hereditária: Aparecem ao longo da vida do cão. Determinadas raças podem apresentar este problema ainda quando filhotes.
  • Diabetes: A catarata em cães diabéticos pode aparecer rapidamente nos dois olhos devido ao acumulo de glucose nos olhos o que acarreta em um aumento no fluxo de água nos olhos.
  • Trauma: Batida ou perfuração da lente.

Os sintomas da catarata em cães

Os sintomas da catarata é a opacidade da lente com aspecto caraterístico de embranquecimento dos olhos e por consequência dificuldade ou perda de visão.

Tratamento da catarata em cães: 

Após o diagnóstico de catarata deverá ser realizada a cirurgia de retirada da lente danificada dos olhos do cão.

Insuficiência cardíaca

Nos cães, a Insuficiência cardíaca é uma das principais doenças de cães idosos onde o problema do coração mais comum não ocorre nas artérias como nos humanos.

O mais comum é ocorrer problemas na válvula mitral nos cães de pequeno porte e miocardiopatia (problemas no músculo do coração) nos cães de grande porte.

No caso de um distúrbio da válvula mitral (referida como insuficiência mitral), com a idade avançada ocorre uma degeneração valvular.

Desta forma, a válvula deixa de fechar completamente, o que no caso da válvula mitral, “separa” o lado esquerdo do coração entre as duas câmaras e o átrio esquerdo que recebe o sangue vindo dos pulmões e o ventrículo esquerdo que vai bombear o sangue pela artéria aorta para o corpo.

O ventrículo esquerdo ao contrair deveria bombear todo sangue presente nessa câmera para artéria aorta, com a insuficiência da Mitral uma porção desse sangue voltará para trás preenchendo parte do átrio esquerdo.

Todo fluxo que chega do pulmão e deveria se acomodar no átrio esquerdo vai encontrar essa câmera que deveria está vazia com parte do sangue que retornou causando aumento de pressão e aumento dessa câmera e com o tempo um processo circulatório congestivo.

 

insuficiencia cardiaca cachorros

 

Causas da insuficiência cardíaca em cães

  • Não tem muito o que pode ser feito para evitar a insuficiência cardíaca em cães. Mantendo o seu cão saudável e em seu peso ideal pode diminuir a gravidade dos sintomas se ocorrer a insuficiência mitral.
  • Em caso de qualquer sintoma aparente, procure imediatamente seu médico veterinário.

Os sintomas insuficiência cardíaca em cães

  • Elevação da frequência cardíaca
  • Elevação da pressão sanguínea
  • Fraqueza
  • Perda de peso
  • Desmaios
  • Dificuldade respiratória
  • Intolerância a exercícios
  • Dificuldade de dormir
  • Tosse
  • Acumulo de liquido em pulmão (edema cardiogênico)

Tratamento de insuficiência cardíaca em cães

Na consulta veterinária, ao auscultar o coração, o médico irá pedir uma série de exames (raio X, eletrocardiograma, ecocardiograma, etc) que comprovem a existência do problema.

Segundo o Colégio Americano de Medicina Interna (ACVIM) a classificação de doença cardíaca e insuficiência cardíaca – adaptado do humano AHA / ACC se resume em:

  • Estágio A: doente em risco de desenvolver doença cardíaca no futuro, por exemplo, pacientes de raça com elevada predisposição para a doença cardíaca
  • Estágio B: pacientes assintomáticos com evidência de doença cardíaca estrutural, por exemplo, presença de sopro
  • Estágio B1: sem evidências de remodelação cardíaca (radiografia ou ecocardiograma).
  • Estágio B2: com evidências de remodelação cardíaca.
  • Estágio C: pacientes com sinais clínicos de insuficiência cardíaca congestiva (passados ou presentes).
  • Estágio D: insuficiência cardíaca refratária. Os pacientes que apresentem sinais clínicos, apesar do tratamento padrão para insuficiência cardíaca congestiva.

Cães em Estágios A e B1 geralmente não recebem tratamento, mas são monitorados por quaisquer alterações no tamanho do coração ou progressão para os sintomas.

  • Tratamento de cães em Estágio B2 é controversa. Alguns veterinários acreditam que o tratamento destes cães irá retardar a progressão da doença, outros não.
  • O tratamento de cães no Estágio C com aumento do coração e dos sintomas se baseia em medicamentos para ajudar a bomba de coração de forma mais eficiente. Os fármacos que podem ser utilizados incluem   DIURÉTICOS que ajudam o cão a urinar mais e, assim, remover o excesso de fluido nos seus pulmões. Estes incluem A FUROSEMIDA  e/ou ESPIRONOLACTONA, vasodilatadores  inibidores da enzima conversora de angiotensina (IECA) como o enalapril, benazepril e medicamentos mais específicos para controlar pressão arterial elevada como ANLODIPINO e a pressão pulmonar como o SILDENAFILA em alguns casos os inotrópicos positivos que aumentam a força de contração do coração  tais como PIMOBENDAN ou  DIGOXINA e quando necessário antiarrítmicos, cada caso deve ser acompanhado e indicado pelo veterinário especializado em cardiologia. O uso de ômega-3 suplementos de ácidos graxos é frequentemente recomendado além de antitussígenos e broncodilatadores
  • No estágio D, pode ser necessário uso de oxigênio e drogas para controlar a pressão que só podem ser usadas com internação e acompanhamento/monitoração 24h.

 

 

orcamento asilo para caes

 

Estas são as principais doenças de cães idosos que você poderá enfrentar com seu amiguinho ao longo da vida dele.

Recomendamos SEMPRE estar atentos aos sintomas listados e em caso de qualquer anomalia, procure imediatamente o seu médico veterinário.

É muito importante que acompanhe muito de perto quaisquer sintomas do seu cãozinho, pois dependendo de qual das principais doenças de cães idosos que ele tiver, o tempo para detectar e tratar o problema pode ser crucial na recuperação do seu animalzinho.